Segundo informações do governo equatoriano, foram detetadas, para já, cinco pequenas bombas em cartas enviadas a jornalistas e aos media nos últimos dias, sendo que uma delas acabou mesmo por ferir um apresentador, nomeadamente Lenin Artieda, depois deste abrir o envelope no meio da redação.

Artieda sofreu ferimentos ligeiros, confirmando que a bomba detonou-se quando inseriu a pen drive, que vinha dentro da carta, no seu computador

O ministro do Interior, Juan Zapata, disse, entretanto, que, segundo as investigações iniciais, o envio foi feito a partir da cidade de Quinsaloma, na província central de Los Ríos, uma das jurisdições mais duramente atingidas pelo crime.

“Qualquer tentativa de intimidar o jornalismo e a liberdade de expressão é uma ação repugnante que deve ser punida com todo o rigor da justiça”, afirmou em comunicado.

Refira-se que o Equador tem experimentado um aumento de casos de violência nos últimos anos, nomeadamente entre traficantes de droga. Guayaquil, a segunda maior cidade do Equador, para onde foram enviados três dos explosivos, é o maior foco de instabilidade neste momento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.