Os repórteres do The New York Times, CNN e Politico foram impedidos de entrar, esta sexta-feira, na sala West Wing da Casa Branca, onde estava agendado o briefing que será apresentado por Sean Spicer, porta-voz de Donald Trump.

Entre os excluídos estão também The Hill, BuzzFeed, o Daily Mail, BBC, New York Daily News e Los Angeles Times

Conta o The New York Times, um dos órgãos de comunicação social impedidos de entrar, que os assistentes de Spicer escolheram a dedo os jornalistas para assistir ao briefing. A Casa Branca, no local, respondeu dizendo que apenas estes repórteres tinham a sua presença confirmada.

Através da rede social Twitter a CNN também deixou uma declaração face ao sucedido. "Este é um acontecimento inaceitável por parte da administração Trump. Aparentemente, é assim que eles retaliam quando nós noticiamos factos de que eles não gostam", pode ler-se.

Os órgãos a que foi permitida entrada incluem a Breitbart News, a One America News Network e o The Washington Times, todos estes jornais com linhas editoriais conservadoras. Sabe-se também que aos jornalistas da ABC, CBS, The Wall Street Journal, Bloomberg, e Fox News também foi permitida entrada na West Wing.

Por outro lado, num ato de solidariedade com os colegas que ficaram à porta, a Associated Press e a revista Time, que teriam autorização para entrar, recusaram-se a assistir ao briefing.

"Ao longo da história do nosso jornal, que passou por várias administrações encabeçadas por diferentes partidos, nunca assistimos a algo assim", disse Dean Baquet, diretor executivo do The New York Times através de um comunicado.

"Protestamos contra a exclusão do The New York Times e dos outros órgãos de comunicação social. O acesso livre aos media e um governo transparente são, obviamente, algo crucial que cumpre o interesse nacional".

A Associação dos Correspondentes da Casa Branca, que representa a imprensa norte-americana e que acompanha de perto cada administração, rapidamente condenou as ações da Casa Branca, e pediu que, em solidariedade, os órgão de comunicação social a quem foi permitida a entrada partilhassem as informações recolhidas com os jornalistas a quem a entrada foi barrada.

A Associação disse ainda que esta situação será mais tarde discutida com o staff da Casa Branca.

Esta sexta-feira, durante a Reunião Anual dos Conservadores, o Presidente dos Estados Unidos da América acusou os media de promoverem '''fake news'' e de serem desonestos.

[Notícia corrigida às 23:19, 25/02/17]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.