O rapper, cujo nome verdadeiro é José Miguel Arenas Beltran, deveria entregar-se voluntariamente às autoridades espanholas em maio para cumprir a sentença, mas fugiu para a Bélgica.

Um dos seus advogados, Simon Bekaert, disse hoje que "o juiz decidiu que não haverá extradição e descartou as três acusações".

Os advogados explicaram aos jornalistas, à saída do tribunal, que as acusações da justiça espanhola não têm equivalência na lei belga.

"Estou satisfeito, feliz", disse o rapper à imprensa.

A justiça espanhola emitiu um mandado internacional de captura a 24 de maio.

Nas letras das suas canções, o rapper aborda o assassínio de membros do governo, da família real e dos partidos de direita.

O rapper, que está exilado na Bélgica e vive nas proximidades de Gant, sempre justificou que as letras das canções pretendiam “chocar a consciência das pessoas” e não atacá-las fisicamente.

"Depois de assistir a [filme] ‘Kill Bill’, vocês vão começar a cortar a garganta das pessoas com uma catana? Não, as pessoas entendem que é arte e isso é tudo”, disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.