A viagem inédita de Kim, a sua primeira ao estrangeiro desde a pandemia de covid-19, começou na terça-feira e incluiu uma reunião com o presidente russo, Vladimir Putin, o que provocou inquietação nos países ocidentais que temem um acordo de armas entre ambos.

Kim e Shoigi
Kim e Shoigi créditos: AFP

Kim foi recebido por Shoigu e escoltado por uma guarda de honra na sua chegada a Vladivostok, uma grande cidade portuária próxima das fronteiras com a China e a Coreia do Norte.

Shoigu e Kim, sorridentes, examinaram bombardeiros nucleares russos e outros aviões militares com tecnologia de ponta, segundo um vídeo publicado pelo Ministério da Defesa russo.

Na base aérea de Knevichi, o ministro apresentou um caça MiG-31 com o seu sistema de mísseis hipertónicos Kinzhal, informou a agência de notícias russa TASS.

A viagem de Kim ao extremo este russo concentrou-se em questões militares e aeroespaciais, com uma visita a um cosmódromo e a uma fábrica de aviões de combate, além de uma troca de armas com Putin.

Os analistas acreditam que a Rússia pode estar interessada em adquirir munições norte-coreanas para utilizar na ofensiva ucraniana, enquanto o país asiático quer ajuda russa para desenvolver o seu programa de mísseis.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.