Os presos “não são de alto risco”, segundo a governante, e o dinheiro gerado pela operação, cujo acordo será assinado na segunda-feira, será utilizado em investimentos em energias renováveis, infraestruturas e na melhoria da qualidade de vida do sistema prisional do Kosovo.

Haxhiu especificou, ainda, que as celas a arrendar à Dinamarca serão na prisão de Gnjilane e que os detalhes do negócio serão revelados na segunda-feira, durante a visita do seu homólogo dinamarquês, Nick Haekkerup.

O acordo terá de ser ratificado por dois terços dos votos no parlamento kosovar.

Uma delegação dos serviços penitenciários dinamarqueses visitou o Kosovo em outubro de 2020 para observar as condições das prisões no país dos Balcãs.

Segundo a imprensa do Kosovo, a Dinamarca precisa de expandir a sua capacidade prisional em cerca de 1.000 celas até 2025.

O Kosovo é uma antiga província sérvia que se tornou unilateralmente independente em 2008, embora não seja ainda reconhecido por vários países.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.