Um juiz de Pamplona, Emilio Labella, condenou um homem a dois anos e um dia de prisão, além de uma multa de 4.600 euros e uma indemnização de 6.000 euros, por publicar no Twitter uma fotografia do caso La Manada, com parte do rosto da vítima visível enquanto era agredida sexualmente por um dos cinco condenados, diz o El País.

O tweet, publicado em 6 de dezembro de 2017, foi acompanhado pelo texto "A miúda supostamente violada pela La Manada pediu que esta imagem não fosse divulgada porque podemos pensar que era apenas uma prostituta bêbeda".

A sentença, proferida pelo chefe do Tribunal Penal número 4, considera o homem residente em Valladolid culpado por revelar segredos relacionados com um crime contra a integridade moral da jovem.

Os cinco membros de "La Manada", como se autodenominavam, abusaram sexualmente em grupo a jovem de 18 anos na entrada de um edifício em Pamplona, no norte de Espanha, durante a popular festa de São Firmino, em julho de 2016. Os homens, naturais de Sevilha, gravaram o momento com os seus telemóveis.

O juiz Emilio Labella considera que o texto do tweet "descarta qualquer outro motivo que não seja precisamente o de violar o direito à privacidade do reclamante". A jovem recusou-se a visualizar as imagens durante o julgamento e, de acordo com a sentença, "ela foi ridicularizada e envergonhada" e temeu "ser identificada como vítima de La Manada", o que veio a acontecer — familiares e conhecidos que não sabiam quem era a vítima descobriram a sua identidade.

Em dezembro de 2018, os cinco homens conhecidos como "La Manada" conheceram a sentença de nove anos de prisão por abuso sexual, depois de terem apresentado recurso em junho.

O Tribunal Superior de Justiça de Navarra confirmou que “as relações sexuais foram levadas a cabo pelos cinco homens sem o livre consentimento da vítima”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.