Segundo o El País, foram registados 21 pequenos sismos na ilha desde a meia-noite, o maior de magnitude 4,4 e a uma profundidade de 38 quilómetros no município de Mazo. Além disso, a lava escorreu para o mar numa terceira língua.

O vulcão de La Palma está ativo desde 19 de setembro, sem que, aparentemente, se tenha reduzido a sua atividade.

O Cumbre Vieja continua a influenciar a vida dos habitantes de La Palma nas Canárias e a paisagem do Vale Aridane mudou completamente, com um amplo manto de lava negra e densa a cobrir, atualmente, o que em tempos foram terras férteis, cultivadas ao longo dos anos.

A herança que será deixada pelo atual vulcão ainda está, assim, por definir. Se, atualmente, se contabilizam as enormes perdas económicas, que arrastam um futuro incerto os milhares de afetados pela erupção, esta pode também vir a ser uma oportunidade para um modelo de vida diferente em toda a zona, onde a lava escura pode vir a fazer parte de uma nova atividade socioeconómica mais sustentável, em linha com a própria natureza que a gerou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.