"Para nós, é uma urgência de justiça acabar com o corte do fator de sustentabilidade nas pensões [dos trabalhadores das pedreiras]", comentou.

Em declarações aos jornalistas, quando participava num piquenique organizado em Peroselo, Penafiel, no distrito do Porto, por um grupo de trabalhadores das pedreiras de granito daquela região, a líder do BE recordou que na atual legislatura foi possível "aprovar uma lei no parlamento para o acesso à reforma mais cedo para estes trabalhadores". Contudo, lamentou, "o Governo acabou por incluir a ideia de que, mesmo assim, fazia o corte do fator de sustentabilidade nas reformas".

Para Catarina Martins, "quando há desgaste rápido reconhecido não pode haver corte [decorrente] do fator de sustentabilidade".

Acabar com essa penalização aos trabalhadores do setor será, prometeu, "uma das principais prioridades do Bloco de Esquerda".

A líder do BE prometeu, por outro lado, que o seu partido vai voltar a defender, na próxima legislatura, o direito de garantir a antecipação da reforma para as cerca de 700 mil pessoas que trabalham por turnos em Portugal, considerando tratar-se de uma questão de justiça social.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.