“Quero garantir é que um Governo do PS continuará a ser amigo da Madeira, com o dos Açores, Algarve, Alentejo” e outras zonas do país, porque “todos os portugueses são iguais”.

António Costa discursava no comício em Machico, na zona oeste da Madeira, onde o partido realizou a rentrée política nacional nesta região autónoma.

Num discurso de cerca de meia hora, António Costa sustentou que “não há boa governação sem reforço da democracia, sem reforço da autonomia das regiões autónomas”.

Por isso, defendeu, é necessário "dar continuidade à boa governação que permite baixar os juros da dívida da Madeira, a boa governação que permite que a República financie a qualidade dos serviços na Madeira com o novo hospital, uma boa governação que assegure a proteção aos portugueses residentes em todo o mundo e que assegure também a boa ligação entre o continente e as regiões autónomas, a boa governação que reforça a democracia, reforçando a autonomia das regiões autónomas da Madeira e dos Açores".

António Costa salientou que, graças ao seu governo, a região paga hoje menos juros pelo empréstimo que contraiu em 2012 no âmbito do Programa Ajustamento Económico Financeiro, tendo a região poupado este ano sete milhões de euros e que, até ao final do empréstimo, poupará 100 milhões de euros.

"A República quer justiça com a Madeira e não quer enriquecer à custa da Madeira", referiu, salientando ainda o apoio em pagar 50% do equipamento e do IVA da construção do novo hospital.

Defendeu ainda que o seu governo irá negociar no sentido da entrada de uma terceira companhia aérea na ligação regular Madeira e o continente e a entrada em funcionamento de um ferry todo o ano entre a região autónoma e Lisboa.

A concluir o discurso e dirigindo-se a Paulo Cafôfo, candidato do PS/Madeira à presidência do Governo Regional, disse: "não serás o amigo do Governo da República, serás o representante dos madeirenses e porto santenses perante o pais e perante a República".

O candidato do PS/Madeira a presidente do Governo Regional nas eleições legislativas regionais de 22 de setembro pediu aos madeirenses e porto santenses que deem "uma oportunidade" ao Partido Socialista para que se concretize a alternância política na região governada há 43 anos pelo PSD.

Paulo Cafôfo pediu a António Costa a revisão da Lei das Finanças Regionais, o respeito e o direito pelo princípio da continuidade territorial, estabelecendo uma linha ferry entre a Madeira e o continente todo o ano e a entrada de uma terceira companhia aérea nas ligações domésticas.

O candidato defendeu ainda o reforço da solidariedade nacional, condenando que "a autonomia não pode ser uma arma de arremesso das politicas do PSD".

O presidente do PS-M, Emanuel Câmara, destacou que a Madeira "vai escrever uma página bonita" a 22 de setembro "na história da alternância politica".

"Vamos mudar a Madeira a 22 de setembro", disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.