Depois de ter estado na ilha de São Miguel, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, está de regresso a Lisboa, onde participa de manhã num encontro promovido pelas Mulheres Socialistas - Igualdade de Direitos, sob o mote “Continuar a Avançar em Igualdade”.

O presidente do PSD, Rui Rio, também reservou a agenda de hoje para a capital e tem prevista uma única iniciativa - uma ação de contacto com a população e comércio local na Avenida da Igreja, na freguesia de Alvalade, Lisboa.

Antes de partir para o debate - o único debate televisivo que reunirá os líderes dos partidos que elegeram em 2019 - que será transmitido às 21:00 na RTP 1 e RTP 3, a coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, começa a manhã com uma visita à feira do Fundão, sendo essa a sua única iniciativa de campanha.

No caso da CDU, é o líder parlamentar João Oliveira vai assumir o comando no debate televisivo, em substituição do secretário-geral do PCP Jerónimo de Sousa enquanto este recupera da cirurgia à carótida interna esquerda. Na rua, seguirá João Ferreira em campanha, com um encontro com Associação dos Deficientes das Forças Armadas, em Lisboa, e uma sessão com reformados, em Coruche, para falar sobre “Envelhecer com dignidade”.

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, vai estar por terras alentejanas, onde tem previsto um pequeno-almoço e um almoço em Évora.

No segundo de 13 dias de campanha oficial, o presidente do Chega, André Ventura, faz campanha na Sertã, com uma arruada à tarde, enquanto o líder da Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo, tem marcado um almoço em Lisboa com a Comissão de Honra do partido.

A porta-voz do PAN, Inês de Sousa Real, não tem ações de campanha previstas para hoje para se preparar para o debate da noite. Rui Tavares, cabeça de lista do Livre pelo círculo eleitoral de Lisboa, vai apenas participar no Fórum TSF, durante a manhã.

Esta é a 17.ª vez que os portugueses são chamados a votar em legislativas em democracia, contando com as eleições para a Assembleia Constituinte, em 1975.

Além de PS, PSD, BE, CDU (PCP/PEV), CDS-PP, PAN, Chega, Iniciativa Liberal e Livre - partidos que conseguiram representação parlamentar nas legislativas de outubro de 2019 -, concorrem às eleições de 30 de janeiro outras 12 forças políticas, num total de 21.

Os outros partidos concorrentes são: Aliança, Ergue-te (ex-PNR), Alternativa Democrática Nacional (ex-PDR), PCTP-MRPP, PTP, RIR, MPT, Nós, Cidadãos!, MAS, JPP, PPM e Volt Portugal, que se estreia em legislativas.

Mais de 10 milhões de eleitores residentes em Portugal e no estrangeiro constam dos cadernos eleitorais para a escolha dos 230 deputados à Assembleia da República.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.