Yuriy Lutzenko fez o anúncio na sua página na rede social Facebook, acrescentando que o dirigente da oposição foi colocado num centro de detenção. Os serviços de segurança ucraniana acusam o líder da oposição, de 49 anos, de estar a fomentar um golpe de Estado, apoiado pela Rússia.

Saakashvili, ex-presidente da Geórgia, lidera a oposição ao Presidente ucraniano, Petro Poroshenko, criticando especialmente a incapacidade do responsável em combater a corrupção no país.

Saakashvili tornou-se governador da região ucraniana de Odessa em 2015 e obteve a cidadania. No entanto abandonou as funções alegando que Poroshenko, que o nomeara, estava a bloquear os seus esforços anticorrupção e em agosto foi-lhe retirada a cidadania ucraniana.

Uma transmissão de vídeo ao vivo na página do Facebook de Saakashvili mostrou hoje dezenas de apoiantes seus concentrados no local da detenção gritando “vergonha”.

Na terça-feira Saakashvili tinha conseguido escapar a agentes da segurança que o pretendiam prender. Desde então tem continuado a fazer manifestações em frente do parlamento de Kiev, exigindo a demissão do Presidente Poroshenko, por não ter conseguido acabar com a corrupção de alto nível.

Numa conferência de imprensa em Vilnius na manhã de hoje o Presidente Poroshenko disse estar pronto a envolver especialistas internacionais na investigação do suposto financiamento russo das atividades de Saakashvili.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.