O mandato de Luís Montenegro, o último pelos estatutos do PSD, terminava apenas em setembro.

De acordo com fontes presentes na reunião da bancada do PSD, entre os motivos invocados para esta antecipação estão o "não criar ruído" dentro do grupo parlamentar em setembro, antes das eleições autárquicas, e fazer coincidir o fim do mandato e da sessão legislativa.

Depois do líder parlamentar falou na reunião à porta fechada o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, que, segundo relatos feitos à Lusa, frisou já ter trabalhado com dois presidentes da bancada, referindo-se a Miguel Macedo e Luís Montenegro.

Dizendo que não se envolverá neste processo, Passos Coelho remeteu a responsabilidade da escolha do líder parlamentar do PSD para os deputados e assegurou que "a direção trabalhará com que for o escolhido".

Luís Montenegro exerce funções de líder parlamentar do PSD desde junho de 2011, quando foi eleito com 86% dos votos, tendo sido sucessivamente reeleito em outubro de 2013, com 87% dos votos, e em novembro de 2015 com quase 98% dos votos, sempre sem oposição.

A atual direção da bancada do PSD tem, no total, 11 vice-presidentes: Hugo Soares, Carlos Abreu Amorim, Miguel Santos, Amadeu Albergaria, Adão Silva, Luís Leite Ramos, Miguel Morgado, Berta Cabral, António Leitão Amaro, Sérgio Azevedo e Nuno Serra.

Licenciado em direito e advogado, Luís Filipe Montenegro Cardoso de Morais Esteves tem 44 anos e é deputado desde 2002, pelo círculo de Aveiro. Nas últimas eleições legislativas, encabeçou nesse distrito a lista da coligação entre PSD e CDS-PP Portugal à Frente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.