De acordo com o relatório hoje divulgado, "o número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 por 100 000 habitantes, acumulado nos últimos 14 dias, foi de 427 casos, com tendência crescente a nível nacional".

Neste sentido, é referido que "Rt apresenta valores superiores a 1 a nível nacional (1,07) e em todas as regiões de saúde, indicando uma tendência crescente da incidência de infeções por SARS-CoV-2. Esta tendência crescente é mais acentuada nas regiões Norte e Alentejo, que apresentam um Rt de 1,16 e 1,11, respetivamente".

Por sua vez, "o limiar de 240 casos/100000 habitantes na taxa de incidência acumulada a 14 dias já foi ultrapassado a nível nacional e nas regiões Norte, LVT e Algarve. A manter-se a taxa de crescimento atual, estima-se que o tempo até que as restantes regiões atinjam este limiar seja inferior a 15 dias".

Já o número diário de casos internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma tendência crescente — correspondendo agora a 70% do valor crítico definido de 255 camas ocupadas.

Destes 178 doentes em cuidados intensivos, 86 estão no grupo etário dos 40 aos 59 anos.

Do total de internados em UCI com covid-19, a região de Lisboa e Vale do Tejo apresentava 97 doentes.

Taxa de incidência elevada entre 20 e 29 anos e a subir nos mais idosos

Segundo o relatório de hoje , "todos os grupos etários apresentam uma tendência crescente da incidência", embora haja duas faixas etárias destacadas: a dos 20 aos 29 anos e a partir dos 80 anos.

"O grupo etário com incidência cumulativa a 14 dias mais elevada correspondeu ao grupo dos 20 aos 29 anos (1.000 casos por 100.000 habitantes)", o que representa um aumento de 14% face à semana anterior.

No caso das pessoas infetadas com mais de 80 anos, a incidência era de 128 casos por 100.000 habitantes, o que significa um crescimento de 54% em relação ao observado na semana anterior.

Segundo a DGS e o INSA, esta subida nas pessoas mais idosas "poderá vir a traduzir-se no aumento de internamentos e mortes nas próximas semanas".

No documento lê-se que há "uma atividade epidémica de SARS-CoV-2 de elevada intensidade e tendência crescente, disseminada em todo o país e que afeta todas as idades, atualmente com maior impacto" nas regiões Algarve (968/100.000), Lisboa e Vale do Tejo (513/100.000) e Norte (425/100.000).

Segundo o relatório, a 21 de julho, quarta-feira, a incidência cumulativa a 14 dias foi de 427 casos por 100.000 habitantes em Portugal.

Na última semana foram realizados 449.570 testes (na semana anterior tinham sido 432.966) e a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 foi de 5,2% (na semana passada era de 4,9%).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.