A disputa entre entre as duas Coreias está a tomar contornos, no mínimo, originais. Depois de a Coreia do Norte ter realizado testes nucleares, no início do ano, e da onda de contestação que se seguiu por parte da comunidade internacional, a Coreia do Sul respondeu - sem o recurso a armas, mas sim a propaganda.

No início de janeiro, o regime de Seul recuperou uma ideia antiga, mais precisamente do período entre 1950 e 1953: direcionou poderosos altifalantes, com o volume no máximo, para o lado da fronteira do país rival, onde se misturavam canções pop coreanas e mensagens de propaganda, atitude que irritou as autoridades norte-coreanas, que ripostaram da mesma forma. Mas aparentemente, a guerra dos décibeis foi vencida pelo país do sul.

Na mesma altura, a Coreia do Sul começou a lançar balões com mensagens de propaganda para a Coreia do Norte. A resposta chegou uma semana depois. Segundo o The Telegraph, o regime liderado por Kim Jong-Un resolveu usar a mesma arma do adversário, mas com uma mercadoria ligeiramente diferente: papel higiénico usado, beatas de cigarros, lenços de papel, misturados com panfletos de propaganda, foram o conteúdo dos balões lançados que vinham com um temporizador e pequenos explosivos, de forma a rebentar no outro lado da fronteira. No entanto, alguns desses dispositivos não chegaram a ser ativados.

De acordo com o Expresso, as autoridades sul coreanas chegaram a recear que os balões encontrados trouxessem alguma espécie de arma química, mas o seu conteúdo foi uma surpresa. O governo sul-coreano já comentou a atitude, que considerou imatura, segundo a mesma fonte.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.