Segundo a imprensa, a polícia suspeita de que Taiguara Rodrigues, sobrinho de Luiz Inácio Lula da Silva, tenha recebido 20 milhões de reais (5,5 milhões de euros) no âmbito de um contrato da empresa Exergia (projetos de engenharia), da qual é sócio, com a empreiteira Odebrecht em Angola.

O negócio terá sido fechado devido à influência do ex-Presidente brasileiro, acrescenta.

A acusação foi baseada em investigações da Operação Janus, que analisa irregularidades no financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) para obras da Odebrecht em Angola.

O jornal O Estado de S. Paulo informa que a empresa do sobrinho de Lula da Silva teria sido beneficiada na obra de ampliação e modernização da hidroelétrica de Cambambe, em Angola.

Segundo o jornal brasileiro, a polícia estaria a investigar um contrato de prestação de serviços da Exergia com a Odebrecht firmado em 2012, no valor de 3,5 milhões de reais (970 mil euros).

Foram também hoje indiciados Taiguara Rodrigues, Marcelo Odebrecht e mais sete executivos da empreiteira Odebrecht.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.