“Quase nos destruímos a nós próprios”, disse Luiz Inácio Lula da Silva.

“Confesso a minha frustração com o Campeonato do Mundo, se eu pudesse fazer como uma avestruz e enfiar a minha cabeça na areia e nunca mais a tirar, eu fá-lo-ia”, acrescentou.

Durante um evento turístico, integrado na campanha eleitoral, Lula afirmou que as alegações de corrupção na construção dos estádios do Campeonato do Mundo danificaram a atmosfera do torneio, apesar de o Tribunal de Contas da União – disse – lhe ter assegurado que só tinha havido uma irregularidade específica na construção do Maracanã no Rio de Janeiro.

“No entanto, a imagem do país foi a do organizador de um Campeonato do Mundo corrupto, que todos roubaram dos estádios”, disse.

O líder progressista lembrou também a dura vaia à sucessora e aliada, Dilma Rousseff, durante a partida de abertura do Campeonato do Mundo em São Paulo e assegurou que “não era o comportamento de um povo normal”.

Lula da Silva, que governou o Brasil entre 2003 e 2010, lidera todas as sondagens antes das eleições de 02 de outubro, nas quais o principal rival é o Presidente, Jair Bolsonaro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.