“Vamos dotar este fundo com 100 milhões de euros para começar”, o que vai permitir “também poder trabalhar com a base industrial de defesa francesa”, disse à imprensa em Praga, no final de uma cimeira informal de líderes da União Europeia (UE).

Esses fundos vão financiar a compra de “armas defensivas” como as já entregues por França desde o início da ofensiva russa na Ucrânia em fevereiro, segundo o chefe de Estado.

A França forneceu à Ucrânia até agora 18 canhões Caesar de calibre de 155 mm com alcance de 40 quilómetros, montados em camiões, mísseis antitanque e antiaéreos, veículos blindados avançados (VAB), combustível, equipamentos individuais e cerca de 15 canhões TRF1 de calibre de 155 mm.

“Existe uma vontade clara reafirmada de apoiar a Ucrânia neste momento da guerra, de continuar a ajudá-la com o nosso apoio orçamental, com a preparação para a reconstrução ou com o nosso apoio militar”, sublinhou Macron.

O Presidente francês também confirmou que França planeia entregar mais seis canhões Caesar — retirados de um pedido da Dinamarca — à Ucrânia.

“Estamos a discutir com os nossos parceiros dinamarqueses para entregar os Caesar, mas é uma discussão que tem certos aspetos técnicos e está a ser finalizada”, disse.

“De qualquer forma, estamos prontos para isso, estamos prontos para cofinanciar, o que permitiria entregar várias unidades desse sistema de artilharia Caesar, que mostrou a eficácia no campo”, acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.