Por volta das 18:30 desta quarta-feira um autocarro despistou-se e caiu de uma ribanceira, em Santa Cruz, na Madeira. O acidente provocou 28 mortos no local (11 homens e 17 mulheres) e o mesmo número de feridos (sem registo de crianças), que foram encaminhados para o hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal.

Um dos feridos acabou por falecer nos cuidados intensivos, uma mulher de nacionalidade estrangeira, elevando o número o número de vítimas mortais para 29.

As 29 vítimas mortais são de nacionalidade alemã.

Nove dos 27 feridos do acidente já tiveram alta, permanecendo ainda no Hospital Dr. Nélio Mendonça, até às 09:00 de hoje, 18 doentes.

Numa conferência de imprensa sobre a evolução dos feridos, no Funchal, Miguel Reis, adjunto da direção clínica do hospital, referiu que nove feridos tiveram alta, oito estão no serviço de ortopedia, quatro na unidade de cuidados intensivos polivalentes, um nos cuidados intermédios e os restantes em observação na urgência. Cinco feridos foram submetidos a intervenções cirúrgicas, dois de nacionalidade portuguesa e três estrangeiros.

A presidente do Conselho de Administração do Serviço Regional de Saúde da Madeira, Tomásia Alves, disse, na conferência de imprensa esta manhã, que a medicina legal foi já reforçada e que as primeiras identificações deverão acontecer no sábado. O Serviço Regional de Saúde (Sesaram) passará, a partir de agora, a fornecer mais informações através de comunicado.

No transporte das vítimas estiveram ambulâncias das duas corporações de bombeiros do Funchal, Câmara de Lobos, Santa Cruz, Machico e Cruz Vermelha.

As vítimas mortais foram transportadas para a morgue que funciona no Instituto de Medicina Legal, no hospital do Funchal. O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses enviou uma equipa do continente para a Madeira para reforçar o gabinete do Funchal.

A Proteção Civil adiantou que foram abertas três linhas de apoio e disponibilizados psicólogos para apoiar os familiares e amigos no hotel das vítimas, além de tradutores. Foi ainda ativado, no âmbito do plano de emergência da unidade hospitalar Nélio Mendonça, um gabinete de apoio com as linhas telefónicas - 291705659, 291705778 e 291705679.

Pedro Calado, vice-presidente do Governo Regional, destacou em conferência de imprensa ser “prematuro” avançar com as causas deste acidente, salientando que se tratava de um autocarro recente “com cinco anos e aparentemente estava tudo bem” e que as viaturas na região são todas inspecionadas.

A viatura é da empresa SAM – Sociedade de Automóveis da Madeira, fretado pela Travel One. “É nossa vontade e profundo empenho que se obtenha o absoluto apuramento de todos os factos, causas e responsabilidades do acidente e, desde já, manifestamos que daremos inteira colaboração às autoridades encarregues das investigações que se vão seguir”, afirmou a empresa em comunicado.

O Diário de Notícias da Madeira, que avançou com a notícia, detalhou que o acidente ocorreu abaixo da Quinta Splendida, na curva junto ao entroncamento da Estrada da Ponta da Oliveira com a Rua Alberto Teixeira (antiga variante).

Marcelo Rebelo de Sousa, planeava viajar ainda esta quarta-feira para o Funchal para acompanhar a situação após o acidente. No entanto, o Presidente da República acabou por cancelar ainda na quarta-feira a ida para a Madeira, explicando que a prioridade era o transporte de feridos. Entretanto, a Presidência da República já emitiu uma nota a informar que Marcelo irá esta sexta-feira ao Funchal.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, foi hoje à Madeira para manifestar a solidariedade do Governo para com as vítimas, acompanhando o seu homólogo alemão, Heiko Maas.

A Força Aérea Portuguesa já informou que tem três aeronaves prontas a descolar para a Madeira, caso sejam ativadas.

Entretanto, o Ministério Público (MP) determinou a abertura de um inquérito na sequência do acidente.

O Governo decretou hoje três dias de luto nacional em memória das vítimas. "O Conselho de Ministros aprovou hoje o decreto que declara os dias 18, 19 e 20 de abril como dias de luto nacional, como forma de expressão de pesar e de solidariedade de toda a população nacional para com as vítimas, e suas famílias, do trágico acidente com um autocarro de turismo, na Região Autónoma da Madeira, que provocou a perda irreparável de vidas humanas", lê-se num comunicado hoje divulgado.

O Governo da Madeira já tinha, ontem, decretado três dias de luto regional, a partir desta quinta-feira e até sábado.

A imprensa internacional está acompanhar o caso, com a britânica BBC e o jornal alemão Bild a colocarem este desastre na Madeira em manchete nas suas edições online, e espanhol El País a dar-lhe igualmente destaque na sua página principal.

São já várias as reações a este acidente, que pode ler aqui.

(Notícia atualizada às 17h27 de 18/4/2019)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.