Em declarações aos jornalistas, no final da reunião do Conselho Metropolitano desta manhã, Eduardo Vítor Rodrigues explicou que numa primeira fase, antes da entrada em vigor do título, entre 25 de maio e 31 de maio, foram adquiridos 5.000 títulos, decorrentes do regresso das aulas presencias para os alunos do 11.º e 12.º ano.

"Já durante o mês de junho, houve uma nova leva de aquisições, que na verdade foram inscrições, porque o passe família transforma-se em gratuito a partir do terceiro elemento do agregado familiar. E aquilo que nós tivemos foi, basicamente, uma aquisição inicial de 5.000 [até 31 de maio] e depois, no final do mês, tínhamos cerca de 10/12 mil pessoas abrangidas", afirmou o também autarca de Vila Nova de Gaia.

O autarca salientou que o objetivo da AMP foi desde o primeiro momento lançar o passe família numa altura de algum "descongestionamento", dado que o pedido de emissão do título tem de ser feito presencialmente numa loja Andante

"Por isso é que ele tinha sido pensado para o dia 01 de abril, que era para aproveitar as férias das Páscoa. Não pôde ser no dia 01 de abril [por causa da covid-19], foi evoluindo para maio e entrou em vigor no dia 1 de junho e aquilo que tivemos foi uma "corrida" às lojas Andante, muito reduzida, sem impacto praticamente nenhum", assegurou.

Apesar de não te ainda na sua posse os dados relativos ao mês de julho, Eduardo Vítor Rodrigues acredita que os números conhecidos "não vão oscilar muito para cima", porque o momento de maior crescimento vai ser "claramente" setembro, com o regresso às aulas dos alunos do secundário e do ensino universitário, cujas aulas funcionaram neste período em regime não presencial, o que determina uma menor aquisição de títulos.

O passe família foi aprovado pela Área Metropolitana do Porto no final de janeiro e a sua entrada em vigor esteve prevista para o dia 1 de maio. Contudo, o lançamento daquele título foi suspenso devido à pandemia de covid-19.

O passe família vai permitir que todos os elementos de um agregado familiar que vivam na mesma casa tenham acesso ao passe único por um preço fixo de 80 euros, correspondente ao valor de dois títulos mensais.

À semelhança do que acontece com o passe único, os portadores deste título poderão optar entre duas assinaturas: o Andante Família Metropolitano, válido em toda a área metropolitana, com um custo mensal de 80 euros, e o Andante Família Municipal, que terá um custo de 60 euros mensais e será válido para viagens dentro do município ou até três zonas.

Desde julho de 2019 que este título pode ser adquirido na Área Metropolitana do Porto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.