Plenário é uma iniciativa pensada para alargar o debate nas legislativas de 6 de outubro a quem tenha ideias para apresentar para uma melhor governação do país. Há muito para discutir antes da ida as urnas e é por isso que queremos começar já a pensar o país que vamos ter (e ser) nos próximos quatro anos — e contamos com o seu contributo. Assim, lançámos o desafio, em forma de pergunta: Se fosse primeiro-ministro ou primeira-ministra nos próximos quatro anos, qual era o problema que resolvia primeiro? Ou, perguntando de outra forma: qual seria a sua prioridade para o país?

Manuel Caeiro, da Póvoa de Santa Iria, juntou-se ao Plenário. Leia aqui o seu contributo na íntegra.

Choque económico

1º) Rendimento garantido de € 600.00 para todos os que se encontram inativos após escolaridade obrigatória. Fim de todos os tipos de abonos e subsídios. [Isto permitiria] Poupanças em recursos humanos que "entopem" os departamentos e afins que processam a subsídio-dependência. Garantia de que todos os € 600.00 entram na economia. Ganhos garantidos para o Estado.

2ª) Vencimento mensal inicial de € 1250.00 para todas as atividades. Aumento garantido de € 250.00 após 5 anos. Aumento garantido de mais € 250.00 após outros 5 anos. A partir de 10 anos de atividade aumentos por mérito. Garantia de desaparecimento de empresas fantasma e de gestores medíocres. Desaparecimento de atividades subterrâneas de fuga a impostos e "ganchos". Garantia de entrada de todos os € 1250.00 e € 1500.00 na economia, pois são vencimentos líquidos abaixo de € 1000.00. Ganhos garantidos para o Estado.

3º) Englobar todos os rendimentos singulares e coletivos. Justiça na tributação. Todos a pagarem impostos, mas quem tem maior riqueza a ter contribuir bastante mais e os que recebem € 600.00 a pagar um valor simbólico para que sintam que todos têm de contribuir. Ganhos de muitos milhões em impostos para o Estado.

4º) Possibilitar a deslocação de população jovem para atividades no Interior (com tudo pago e a fundo perdido). Garantia de futuro para todos e de melhoria das muitas situações que ameaçam neste momento o nosso país. Ganhos que não são mensuráveis para o Estado.
 
5º) Garantir o aumento demográfico com medidas de grande impacte nos jovens. Premiar as famílias com 3 ou mais filhos com medidas efetivas de acesso a habitação, educação e rendimento de elevada qualidade. Ganhos extraordinários e exponenciais para o Estado.

Só com muita coragem, mas é efetivamente incrivelmente simples. Por vezes o mais simples é o mais eficaz.

Espero que os futuros governantes tenham o bom senso de pensar fácil e agir em tempo útil.

O que acha desta ideia? Deixe a sua opinião nos comentários deste artigo. Desejamos uma discussão construtiva, por isso todos os comentários devem respeitar as regras de comunidade do SAPO24, que pode ler aqui.


Queremos também o seu contributo para pensar o país. As legislativas acontecem a 6 de outubro, mas a discussão sobre o país que queremos ter (e ser) nos próximos quatro anos começa muito antes da ida às urnas. É esse o debate que o SAPO 24 quer trazer — e contamos consigo.

Saiba como participar aqui. Veja os contributos dos nossos convidados e leitores em 24.sapo.pt/plenario e, claro, junte-se ao debate. 

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.