À margem da cimeira, o chefe de Estado tem previstos, pelo menos, três encontros bilaterais, na sexta-feira, com os Presidentes da Costa Rica, Carlos Alvarado Quesada, e do Peru, Martín Vizcarra, que assumiram funções este ano, e da Guatemala, Jimmy Morales, disse à Lusa fonte da Presidência da República.

Esta é o segundo encontro de chefes de Estado e de Governo da comunidade ibero-americana em que Marcelo Rebelo de Sousa está presente, acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Questionado, em Antigua, sobre a ausência do primeiro-ministro, Augusto Santos Silva respondeu que essa decisão foi tomada porque António Costa tem tido uma agenda internacional "muito intensa, quer no plano externo, quer no plano europeu", sobretudo desde a visita a Angola, em setembro.

O ministro referiu ainda que o primeiro-ministro "está em estado de prontidão, como os restantes chefes de Estado e de Governo europeus, para a possibilidade de ser convocado um Conselho Europeu extraordinário para validar o acordo do 'Brexit'" e que esta cimeira ibero-americana acontece num momento de "plena discussão orçamental" em Portugal.

"Por todas estas razões, entendemos que este ano deveria ser o Presidente da República a chefiar a delegação portuguesa à Assembleia-Geral das Nações Unidas, em setembro, e resolvemos que para a cimeira ibero-americana viria eu em nome do Governo, como já fui à Assembleia-Geral das Nações Unidas", justificou.

Em seguida, Santos Silva observou: "Julgo que isto também demonstra a confiança do primeiro-ministro no seu ministro dos Negócios Estrangeiros, o que não será novidade".

Dos 22 países da comunidade ibero-americana, no mínimo 15 estarão representados ao mais alto nível, pelo chefe de Estado ou de Governo, na cimeira de Antigua, cujo lema é "Uma Ibero-América próspera, inclusiva e sustentável".

Além do Presidente do país anfitrião, Guatemala, já confirmaram a sua presença os Presidentes da Bolívia, do Brasil, México, Peru, Costa Rica, Equador, Nicarágua, El Salvador, Honduras, Panamá, Paraguai e Portugal, o rei de Espanha e os chefes dos Governos espanhol e de Andorra.

Argentina, Colômbia, Uruguai e Venezuela deverão fazer-se representar por vice-Presidentes, e Cuba e Chile por ministros.

Nas anteriores cimeiras, Portugal tem estado representado pelos chefes de Estado e de Governo. O primeiro-ministro, António Costa, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, estiveram juntos e estrearam-se ambos nestes encontros há dois anos, na cimeira de Cartagena das Índias, na Colômbia, em 2016.

Marcelo Rebelo de Sousa viaja em voo da Força Aérea Portuguesa, com chegada prevista para as 15:30 (21:30 em Lisboa) de hoje à Cidade da Guatemala, de onde seguirá diretamente para Antigua, que fica a cerca de 40 quilómetros da capital.

Hoje, o Presidente da República participará na receção do Presidente da Guatemala, Jimmy Morales, aos chefes de Estado e de Governo ibero-americanos, e no jantar de abertura da cimeira.

Na sexta-feira, os trabalhos terão início pelas 10:30 (16:30 em Lisboa), após a fotografia oficial, e deverão terminar pelas 17:15 (23:15 em Lisboa), seguindo-se a conferência de imprensa final do Presidente da Guatemala e da Secretaria-geral Ibero-Americana.

A comunidade ibero-americana é composta por 22 países, dos quais três europeus, Portugal, Espanha e Andorra, e 19 latino-americanos: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela, México, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Cuba e República Dominicana.

A primeira cimeira desta comunidade realizou-se em 1991, em Guadalajara, México. Os encontros repetiram-se, com periodicidade anual, até 2014. Desde então, passaram a ser de dois em dois anos.

Comunidade ibero-americana reúne-se em Antigua com oito novas lideranças

A comunidade ibero-americana reúne-se entre hoje e sexta-feira em Antigua, na Guatemala, com novas lideranças em oito países da América Latina face à anterior cimeira, há dois anos, e também em Espanha.

O contexto regional mudou com a entrada em funções de novos Presidentes na Costa Rica, em Cuba, na Colômbia, no Paraguai, no Chile e no Peru, durante este ano, e nas Honduras e no Equador, no ano passado.

Além destas oito mudanças, as duas maiores economias da América Latina, que são igualmente os dois países mais populosos da região, Brasil e México, elegeram recentemente novos Presidentes, Jair Bolsonaro e Andrés Manuel López Obrador, respetivamente, que representam viragens políticas, mas que ainda não tomaram posse.

Na cimeira de Antigua, estarão, por isso, os chefes de Estado e de Governo brasileiro, Michel Temer, e mexicano, Enrique Peña Nieto, em fim de mandato. Estes dois países latino-americanos são membros do G20, assim como Argentina, onde decorrerá no fim deste mês um encontro deste fórum.

A comunidade ibero-americana é composta por 19 países da América Latina e por três países europeus, Portugal, Andorra e Espanha - onde Pedro Sánchez, do partido socialista espanhol (PSOE), assumiu funções este ano como chefe do Governo, substituindo Mariano Rajoy, através de uma moção de censura aprovada no parlamento.

Pedro Sánchez fará a sua estreia nestes encontros. Como é habitual, Espanha estará representada pelo chefe do Governo e pelo chefe de Estado, o rei Felipe VI.

Têm também presença confirmada em Antigua cinco dos mais recentes chefes de Estado e de Governo ibero-americanos, que iniciaram os mandatos depois da anterior cimeira que decorreu na cidade colombiana de Cartagena das Índias, em novembro de 2016.

É o caso dos Presidentes da Costa Rica, Carlos Alvarado Quesada, do Paraguai, Mario Abdo Benítez, do Equador, Lenín Moreno, das Honduras, Juan Orlando Hernández, e do Peru, Martín Vizcarra.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que representará Portugal nesta cimeira, em conjunto com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, tem previstos, pelo menos, três encontros bilaterais, dois dos quais com novos protagonistas ibero-americanos.

Na sexta-feira, segundo e último dia da cimeira, Marcelo Rebelo de Sousa irá reunir-se com os Presidentes da Costa Rica, Carlos Alvarado Quesada, e do Peru, Martín Vizcarra, bem como com o Presidente do país anfitrião, a Guatemala, Jimmy Morales.

Outros três chefes de Estado tomaram posse este ano no espaço ibero-americano, Sebastián Piñera, no Chile, Miguel Díaz-Canel, em Cuba, e Iván Duque, na Colômbia, mas nenhum deles deverá estar em Antigua, sendo os respetivos países representados por vice-presidentes ou a nível ministerial.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.