“Depois de ter estado encerrada entre a zona do Inatel de Oeiras e Paço de Arcos, no sentido Cascais-Lisboa, a circulação automóvel já está normalizada”, informou pelas 16:50 a Câmara Municipal de Oeiras, distrito de Lisboa, numa mensagem publicada na rede social Facebook.

Além do ponto de situação sobre a circulação na marginal, a Câmara de Oeiras reforçou que “está atenta e a dar resposta às ocorrências devido ao mau tempo”.

Pelas 14:45, o município alertou que a marginal de Oeiras foi cortada ao trânsito no sentido Cascais - Lisboa devido à queda de chuva intensa, garantindo que estava a tomar todas as diligências para restabelecer a normalidade de circulação.

Até às 16:00 de hoje, Portugal contabilizou 478 ocorrências devido ao mau tempo, sendo os distritos de Lisboa (212), Leiria (55) e Setúbal (46) os mais penalizados, disse à Lusa o comandante da Associação Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Relativamente à tipologia das ocorrências, o comandante da ANEPC Pedro Araújo disse que foram registadas “109 associadas a quedas de árvores, 232 associadas a inundações e 94 a quedas de estruturas, sendo o resto distribuído entre limpezas de via, movimentos de massa, deslizamento de terra e afins".

O responsável da Proteção Civil garantiu "não haver registo de feridos associados às condições meteorológicas".

A ANEPC alertou hoje para a possibilidade de ocorrência de "cheias relâmpago" em zonas urbanas, devido à subida do nível dos rios, disse aos jornalistas o adjunto nacional de operações, Sérgio Trindade.

"Prevê-se que possa haver a ocorrência de cheias relâmpago, muito rápidas, em zonas urbanas que façam inundações rápido e em que as pessoas não tenham hipótese de se movimentar e fugir delas", afirmou hoje aos jornalistas o responsável, na sede da ANEPC, em Carnaxide (Oeiras).

O Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) pôs sob aviso laranja 13 dos 18 distritos de Portugal Continental, incluindo toda a costa do país, e, a amarelo, cinco distritos do interior, devido ao mau tempo.

De acordo com o 'site' do instituto, os distritos do litoral, incluindo todo o Algarve, estão sob aviso laranja, mas, em declarações à Lusa, fonte do IPMA disse não haver ocorrências significativas até ao momento.

Os avisos laranja devem-se sobretudo à precipitação, embora nos distritos mais a norte, Porto, Braga e Viana do Castelo, se devam também ao vento e à agitação marítima.

(Notícia atualizada às 17:32)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.