Num comunicado de imprensa, o conselho de administração da SPA manifesta "sentido pesar" pelo falecimento de Mário Soares, no sábado, em Lisboa, tendo o Governo decretado três dias de luto nacional, entre hoje e quarta-feira.

A sociedade recorda que Mário Soares inscreveu-se como autor na SPA em 23 de maio de 1990 e foi distinguido com o Prémio de Vida e Obra da entidade em 2012.

"Na intervenção que fez nessa ocasião, salientou a cultura e a criação artística na vida de um país, e referiu as ligações profundas que sempre teve com esse setor. Enquanto foi primeiro-ministro e Presidente da República, nunca se afastou das áreas do pensamento e da vida cultural e científica", sublinha ainda a cooperativa de autores.

Mário Soares estreou-se em livro em 1950 com “As Ideias Políticas e Sociais de Teófilo Braga”, editado em 1950 com prefácio de Vitorino Magalhães Godinho.

Deixou uma extensa obra publicada, incluindo-se nela importantes entrevistas sobre a vida política nacional e internacional, das quais a SPA destaca “Incursões Literárias”, da Temas e Debates, em 2003, "por ser aquela em que mais recorda e acentua a sua ligação de sempre a escritores e à literatura".

Mário Soares "sempre se assumiu como um grande bibliófilo, tendo deixado uma biblioteca de grande qualidade e diversidade”.

A Fundação Mário Soares "tem sido um importante polo da vida cultural e cívica portuguesa com assinalável trabalho de promoção de debates e de preservação da memória política, social e cultural portuguesa de várias décadas".

O conselho de administração da SPA acrescenta ainda que "recordará sempre também a sua condição de autor, traço marcante da sua vida e da sua personalidade. Para os autores portugueses, Mário Soares continuará a ser um símbolo e um pilar essencial das lutas pela democracia e pela liberdade".

O corpo do antigo Presidente da República vai estar em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos a partir das 13:00 de hoje.

O funeral de Estado, o primeiro desde o 25 de Abril, realiza-se a partir das 15:30 de terça-feira, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, e contará com as presenças dos Presidentes do Brasil e de Cabo Verde, além de outras personalidades internacionais, como o presidente do Parlamento Europeu.

Nascido a 7 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares, advogado, combateu a ditadura do Estado Novo e foi fundador e primeiro líder do PS.

Após a revolução do 25 de Abril de 1974, regressou do exílio em França e foi ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, tendo pedido a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e assinado o respetivo tratado, em 1985.

Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.