Marcelo Rebelo de Sousa falava no final do 17.º encontro do Grupo de Arraiolos, numa declaração à comunicação social, depois da reunião que juntou em Malta doze chefes de Estado não executivos da União Europeia.

O chefe de Estado português saudou a unidade registada no encontro contra a invasão da Ucrânia pela Rússia e sobre a resposta dada pela União Europeia (UE).

“Sublinhámos quão vital é a resposta global da União Europeia a uma guerra global — não apenas local ou regional — e sublinhámos a unidade europeia na área da energia”, disse.

Neste ponto, o Presidente da República fez questão de saudar a proposta da Comissão Europeia hoje conhecida.

“É justa, inteligente e adequada”, afirmou.

O Presidente da República português foi um dos 12 chefes de Estado que fez uma declaração à imprensa (em inglês) no final do encontro, num momento sem direito a perguntas da comunicação social.

A Comissão Europeia propôs hoje um prolongamento do quadro temporário de ajudas estatais para os Estados-membros da União Europeia (UE) terem mais margem para compensar os altos preços da energia, dada a crise acentuada pela guerra da Ucrânia.

Por outro lado, a Comissão aprovou também hoje o reforço do apoio às indústrias intensivas em gás, para 40% sobre o custo elegível, permitindo aumentar o limite de apoio de 400.000 euros para 500.000 e alargamento à indústria transformadora agroalimentar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.