“Estamos a falar de ajuda do Governo para evitar estas ocorrências e de ajuda do Governo para recuperarmos estes danos. Tenho estado em contacto com o Governo. O Governo está sensibilizado, está a par do que está a acontecer em Manteigas. É preciso mobilizar todos os meios”, declarou Flávio Massano.

A chuva intensa que caiu durante a noite e madrugada arrastou terras e detritos das áreas ardidas da serra da Estrela e causou danos na freguesia de Sameiro, no concelho de Manteigas, no distrito da Guarda.

O autarca referiu que quando a situação ocorreu “as pessoas estavam em casa” e não há danos pessoais a lamentar.

“Estamos a falar de prejuízos de larga escala”, admitiu o responsável.

Pelas 13:00, o autarca disse à Lusa que já foram desobstruídos todos os canais e foi retirada a maior parte dos detritos do incêndio, “mas podem vir novos detritos encosta abaixo”.

Na aldeia de Sameiro vários troncos de árvores de “porte enorme”, vários carros, iluminação pública, grades, gradeamentos, parte de pontes e parte de caminhos agrícolas e de estradas “foram arrastadas pela força da água”, relatou.

“Ontem à noite não havia muito a fazer, porque a intensidade foi tal que quando a água desceu, desceu com uma velocidade alucinante e trouxe tudo aquilo que encontrou pela frente”, disse.

Flávio Massano referiu que a corrente destruiu muitas infraestruturas públicas, muitos caminhos públicos, calçadas, pontes, gradeamentos e também afetou o campo de jogos e a piscina da freguesia.

Também tem registo de “muitos danos” em privados, ao nível de telhados, paredes e muros.

“Temos várias equipas mobilizadas no terreno para impedirem que a situação que ocorreu ontem à noite, bastante devastadora do património desta freguesia, volte a acontecer. Contudo, aquilo que estamos neste momento a sentir no território é que a água está a engrossar novamente e a possibilidade de ocorrer o mesmo fenómeno é bastante provável”, concluiu.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, pelas 03:48 foi dado o alerta para um movimento de massa (deslizamento de terras) na localidade de Sameiro, concelho de Manteigas, distrito da Guarda.

A fonte referiu que, devido à chuva que caiu com intensidade nas áreas que foram destruídas pelo incêndio que atingiu a serra da Estrela no mês de agosto, ocorreu um movimento de terras e os detritos “foram para o leito do rio [Zêzere] que ficou alagado”.

Hoje de manhã, o presidente da Câmara Municipal de Manteigas escreveu nas redes sociais que “as condições climatéricas anunciadas”, que levaram a autarquia a tomar a decisão preventiva de encerramento da via ER 338, “causaram um cenário de destruição” na freguesia de Sameiro.

“Estamos desde as 03:20 no terreno, hora a partir da qual ativei o Plano de Emergência Municipal (a ratificar posteriormente), para poderem ser mobilizados vários meios municipais, da freguesia, bombeiros, sapadores, GNR e, principalmente, de civis, que, neste momento, efetuam trabalhos conjuntos de desobstrução de canais, vias e habitações sob a orientação da Proteção Civil”, escreveu Flávio Massano.

Segundo o autarca de Manteigas, “os danos são enormes, várias viaturas foram arrastadas pela força da água, há casas e negócios afetados, estradas, iluminação pública, infraestruturas de água e saneamento, equipamentos desportivos e lúdicos, entre outros”.

Segundo a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), pelas 13:30 estavam no terreno 98 elementos e 30 viaturas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.