Na sua intervenção, difundida na comunicação social, May recordou os resultados conseguidos em 2017 sobre o “brexit”, com a ativação do artigo 50 do Tratado de Lisboa em março e a execução em dezembro de um acordo na primeira fase da negociação con Bruxelas.

Pode-se dizer que, além das negociações para a saída da União Europeia, prevista para 29 de março de 2019, o governo “tem outras ambições” e trabalhará para “melhorar as condições de vida” dos britânicos, com a criação de mais emprego.

“Creio que 2018 pode ser um ano de confiança renovada e orgulho no nosso país”, disse May.

Também o líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, disse no seu discurso de Ano Novo que está a preparar-se para governar se ocorrerem eleições antecipadas em 2018, assegurando que representa “o novo” centro político.

O líder trabalhista considerou que o governo conservador da primeira ministra, Theresa May, “é débil e está dividido”, por ter perdido a maioria parlamentar nas eleições antecipadas de 8 de junho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.