O McDonald’s anunciou esta segunda-feira que irá começar o processo de venda da cadeia de restaurantes na Rússia, após 30 anos de atividade.

Na prática, a decisão significará a venda de 850 restaurantes que empregam cerca de 62 mil pessoas, segundo a AFP.

A cadeia gigante do fast food não permaneceu indiferente à situação de guerra na Ucrânia e, pelas causas morais e humanitárias às quais se associa, entendeu que “não é mais sustentável nem condizente com os valores do McDonald’s”.

A empresa norte-americana anunciou no início de março que mas continuaria a pagar aos funcionários. Na segunda-feira, o McDonald's afirmou a intenção de encontrar um comprador russo para contratar esses trabalhadores e pagá-los até à conclusão oficial da venda. Contudo, não identificou um potencial comprador.

O CEO Chris Kempczinski disse que a “dedicação e lealdade ao McDonald’s” dos funcionários e centenas de fornecedores russos tornaram difícil a decisão de sair.

“No entanto, temos um compromisso com nossa comunidade global e devemos permanecer firmes nos nossos valores”, disse Kempczinski em comunicado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.