“Não o reabrir seria ceder ao obscurantismo de quem detesta a nossa liberdade”, declarou Castaner numa conferência de imprensa na capital alsaciana.

O responsável precisou que será reduzido o número de pontos de entrada para aquele que é um dos mais antigos mercados natalícios da Europa e o primeiro de França, remontando ao ano de 1570.

Na terça-feira, um homem disparou, pouco antes das 20:00 (menos uma hora em Lisboa), sobre as pessoas que circulavam no centro histórico de Estrasburgo, no perímetro do mercado de Natal.

Do ataque resultaram três mortos e 13 feridos. Três dos feridos saíram hoje do hospital e outros três encontram-se “entre a vida e a morte”, acrescentou o ministro francês num breve discurso.

(Notícia atualizada - título)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.