O autarca de Estrasburgo, Roland Ries, referiu, em comunicado divulgado na rede social Twitter, que as bandeiras vão ficar a meia haste e que será aberto um livro de condolências no município.

Pelo menos três mortos é o mais recente balanço do tiroteio que ocorreu na terça-feira na cidade francesa de Estrasburgo, na zona onde ocorre o mercado de Natal.

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, ativou o gabinete de crise devido ao tiroteio, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, dirigiu-se para lá, anunciou o Eliseu.

A célula interministerial, que está a funcionar a partir do Ministério do Interior, reúne representantes dos ministérios e serviços encarregados de seguir a gestão da investigação do tiroteio em Estrasburgo, divulgou o gabinete do primeiro-ministro, citado pela agência France-Presse.

O ministro do Interior francês, Christophe Castaner, está igualmente em ligação com o gabinete de crise a partir de Estrasburgo, para onde se dirigiu, segundo o Eliseu.

O Ministério Público francês anunciou, entretanto, a abertura de uma investigação por homicídio e tentativa de homicídio relacionada com uma organização terrorista, assim como por associação terrorista.

Segundo a polícia francesa, o autor do ataque, que continua em fuga, foi ferido numa troca de tiros antes de abandonar o local.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.