O piloto finlandês, que na passada sexta-feira já tinha garantido o melhor registo destes testes, que decorreram no circuito espanhol de Barcelona, terminou o dia de hoje com o tempo de 1.16,196 minutos.

Hoje foram dez os pilotos que conseguiram rodar no segundo 16, com destaque para o terceiro lugar do australiano Daniel Ricciardo (Renault), a 80 milésimos de Bottas, e o quarto do monegasco Charles Leclerc (Ferrari), que bateu o britânico Lewis Hamilton (Mercedes).

O piloto da Ferrari realizou uma simulação de corrida, conseguindo rodar num ritmo próximo do que já haviam feito os Red Bull.

O campeão mundial, por sua vez, lamentou os “problemas de fiabilidade” sentidos pela Mercedes nos últimos dias. “São uma preocupação”, admitiu.

O melhor tempo destes testes foi conseguido por Valtteri Bottas na semana passada, quando rodou em 1.15,732 minutos.

Para sábado está prevista uma reunião entre o norte-americano Chase Carey, patrão da Fórmula 1, e as equipas, para discutir as medidas a tomar devido ao coronavírus.

Se na McLaren os cumprimentos de mão passaram a toques de cotovelo, a Ferrari cancelou os bilhetes de avião para Barcelona no início desta semana, tendo fretado um avião para toda a comitiva viajar junta.

Hoje deverá ser tomada uma decisão quanto à manutenção da data dos primeiros Grandes Prémios da temporada, na Austrália (15 de março), Bahrein (22 de março) e Vietname (05 de abril).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.