“Foi inqualificável a atitude dos jovens, o que se passou no Porto Santo, e merece o total repúdio da Câmara Municipal”, disse hoje Idalino Vasconcelos à agência Lusa.

Os mais recentes dados, divulgados quinta-feira pela Direção Regional de Saúde (DRS), indicam que no Porto Santo estavam diagnosticados 81 casos ativos de covid-19.

A ilha tem uma população na ordem dos 5.000 residentes, mas nos meses de verão, sendo um destino de férias procurado sobretudo pelos habitantes na ilha Madeira, chega a registar 30.000 pessoas no seu território.

O aumento de casos de covid-19 registado nos últimos dias levou as autoridades de saúde a criar um novo espaço de confinamento com 50 camas, no Pavilhão Multiúsos, no centro da ilha, visto que a unidade hoteleira dedicada a esta tarefa, com 42 camas, tinha esgotado a sua capacidade.

Nas últimas semanas surgiram relatos sobre “comportamentos irresponsáveis” de muitos jovens que passam férias na ilha, com o registo de ajuntamentos, sem cumprimento das regras preventivas “entre a meia-noite e a 01:00, que é o recolher obrigatório, sobretudo junto aos bares”, mencionou o autarca.

“Diariamente somos informados sobre os problemas de concentração de jovens, muitos deles menores, bêbados”, apontou Idalino Vasconcelos, opinando que a situação se deve também à “falta de supervisão parental”.

O autarca lamentou que este tipo de situações aconteçam “apesar dos apelos do município”, porque prejudicam os residentes e comerciantes da ilha, além de afetarem a imagem do Porto Santo como destino turístico seguro.

“Foi pena não ter existido a ação pedagógica que foi pedida pela Câmara do Porto Santo às forças de segurança, tal como no ano passado”, declarou, recordando que decorreram reuniões com as autoridades de fiscalização e segurança antes do período de férias e foi “garantido um reforço de policiamento”.

Idalino Vasconcelos sublinhou que a situação na ilha “podia ser bem melhor se não houvesse a atitude irresponsável da maioria dos jovens” que ali estão de férias.

O município corrobora, por isso, a posição dos residentes que “têm manifestado a sua insatisfação”.

Contudo, Idalino Vasconcelos referiu que se verificam episódios de desacatos em quase todos os destinos turísticos nesta altura do verão.

“É necessário que todos façam a sua parte e apelo aos jovens para que sejam mais responsáveis, apelo ao seu civismo e para que tenham mais consciência sobre a consequência dos seus atos”, disse.

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, afirmou na segunda-feira que a situação no Porto Santo era “muito complicada” e anunciou que ia pedir uma maior intervenção das forças de segurança, nomeadamente com a aplicação de multas nos casos de incumprimento das regras preventivas.

A DRS refere que a ilha do Porto Santo registou um total de 201 infetados desde o início da pandemia, somando 120 doentes recuperados e um óbito associado à doença.

As autoridades de saúde da Madeira sinalizaram na quinta-feira 47 novos casos de covid-19 e 30 recuperações no arquipélago, sendo que o total de infeções ativas no arquipélago é de 352, com oito doentes hospitalizados e 75 vítimas mortais.

A covid-19 provocou pelo menos 4.401.486 mortes em todo o mundo, entre mais de 209,9 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.613 pessoas e foram registados 1.012.125 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.