O furação estava, às 15:00 TMG (16:00 em Lisboa), a 300 quilómetros a sudeste de Acapulco, no estado de Guerrero, e viajava a 11 km/hora, com ventos de 130 km/hora e rajadas ainda mais fortes, referiu o NHC.

“É esperado um rápido reforço [do fenómeno meteorológico] nas próximas 24 horas, devendo o Rick tornar-se num grande furacão no domingo”, altura em que se estará a aproximar da costa mexicana, acrescentou o centro de furacões.

O instituto meteorológico do México avisou, entretanto, que, nas próximas horas, são esperadas fortes chuvas no sul e sudeste do país, e ondas de dois a quatro metros ao largo de Guerrero.

O México é regularmente atingido por ciclones e tempestades tropicais, tanto nas costas do oceano Pacífico como nas do Atlântico.

O furacão mais mortal deste ano foi o Grace, que, em 21 de agosto, provocou 11 mortos nos estados de Veracruz (leste) e Puebla (centro).

No final de agosto, duas pessoas desapareceram após a passagem do furacão Nora pelo estado de Jalisco, no litoral do oceano Pacífico, e em 13 de setembro, o furacão Pamela causou danos materiais no estado de Sinaloa, no noroeste do país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.