“Temos três semanas em que temos uma diminuição do número de casos diários. Imaginámos que os meios de comunicação social, que durante muitas semanas estiveram entusiasmados em dizer ‘números recorde de casos’, talvez hoje estejam entusiasmados em dizer ‘números recorde de diminuição'”, afirmou Hugo López-Gatell, subsecretário para a Prevenção e Promoção da Saúde, citado pela agência de notícias espanhola Efe.

Segundo as autoridades sanitárias mexicanas, o último balanço aponta para uma tendência de redução de novas infeções desde o início do mês, após um recorde diário de 9.556 casos registado em 01 de Agosto.

Desde o início da pandemia, o país contabilizou 522.162 casos de covid-19 e 56.757 óbitos.

O México é o terceiro país do mundo com mais mortes provocadas pelo novo coronavírus, depois dos Estados Unidos (EUA) e Brasil, e o sétimo com mais casos confirmados, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 766 mil mortos e infetou mais de 21,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.