De acordo com as lendas, os sacrifícios animais em Bariyarpur começaram há vários séculos, quando a deus Gadhimai apareceu em sonhos a um prisioneiro e pediu para este lhe construir um templo.

Depois disso, de cinco em cinco anos, a cerimónia tem lugar no Templo da referida deus em Bariyarpur, localidade nepalesa que fica a cerca de 160 quilómetros da capital do país, Katmandu e muito perto da fronteira com a Índia.

Considerado o maior ritual de sacrifício animal do mundo, em 2014, data da última cerimónia, estima-se que mais de 200 mil animais tenham sido mortos, de acordo com o jornal britânico Guardian, citando a AFP.

Segundo a mesma publicação, o festival começou nesta terça-feira sob fortes medidas de segurança. uma vez que ao longo dos últimos anos foram feitos esforços, quer pelas autoridades nepalesas que organizam o festival, quer pelo Supremo Tribunal do país, para atender aos pedidos dos ativistas animais para terminar com o ritual.

De acordo com os relatos, cerca de 200 "matadores", armados com espadas e facas, entraram numa arena maior que um campo de futebol contendo milhares de búfalos com o objetivo de realizar o ritual, que é assistido por milhares de pessoas, não só do Nepal, mas também da Índia, que têm dormido ao relento e rezado à deusa nos últimos dias, na antecipação do evento.

As autoridades indianas, em conjunto com voluntários, apreenderam vários animais na fronteira nos últimos dias, interceptando peregrinos que os levavam para o ritual. Contudo, foi impossível conter o volume de peregrinos e animais, pelo que a cerimónia vai mesmo ter lugar nos próximos dias.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.