Os manifestantes concentraram-se em frente à Câmara Municipal, onde várias pessoas tomaram a palavra para reclamar “uma outra política”, apelar ao respeito pelo ambiente ou criticar o Presidente norte-americano, Donald Trump.

Alguns dos manifestantes atravessaram o Alster, o rio que banha a cidade, em canoas e em pequenas embarcações.

Ativistas da organização ambientalista Greenpeace manifestaram-se no porto, diante de um cargueiro carregado de carvão, para exigir o fim da utilização deste combustível fóssil na produção de eletricidade.

Ao longo da próxima semana são esperadas 30 manifestações, com mais de 100 mil participantes, contra a cimeira do grupo de 19 países mais ricos e a União Europeia.

Cerca de 15 mil polícias foram destacados para garantir a segurança da reunião magna, aos quais se vão juntar outros 3.800 agentes para vigiar o aeroporto e os comboios.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.