Segundo nota hoje publicada na página da Procuradoria-Geral Distrital do Porto, os factos remontam a 17 de janeiro de 2017, no contexto da realização, em Guimarães, do jogo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica, a contar para a 16.ª jornada da I Liga, da época 2016/17, que os ‘encarnados’ venceram por 2-0.

“O arguido deslocava-se apeado e integrado num grupo com cerca de 200 adeptos denominados ‘No Name Boys’, pertencentes a um grupo designado por ‘Casuals’, onde exerce funções de liderança”, refere a nota.

Naquelas circunstâncias, e “pretendendo confrontar fisicamente” adeptos da claque White Angels, do Vitória de Guimarães, o arguido “desobedeceu às instruções policiais e incentivou os membros do grupo que integrava a que forçassem a barreira policial, o que veio efetivamente a suceder”.

Alguns dos elementos do grupo, “movidos pelas palavras do arguido”, empurraram “violentamente” os elementos policiais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.