O presidente da Associação de Moradores do Bairro Alto voltou hoje a pedir mais fiscalização e policiamento naquela zona de diversão noturna da capital, que foi palco, na terça-feira à noite, de desacatos com adeptos do Borussia Dortmund.

Em declarações à agência Lusa a propósito dos desacatos ocorridos no Bairro Alto com adeptos do Borussia Dortmund, dos quais resultaram sete detidos e ferimentos ligeiros em dois polícias, o presidente da Associação de Moradores do Bairro Alto (AMBA), Luís Paisana, lamentou a situação e voltou a pedir mais fiscalização e policiamento naquela zona de Lisboa.

“Pensamos que a situação se agravou com a pandemia. Há comportamentos mais excessivos e até mais violentos do que havia. Pedimos e defendemos mais policiamento. Sabemos que há falta de recursos e, portanto, fazem o que podem, mas continuamos com o problema de estarem pessoas na rua a beber e com estabelecimentos abertos que não têm as devidas licenças para poder vender, mas continuam a vender”, disse.

Luis Paisana destacou que muitos não têm espaço dentro dos estabelecimentos, vendendo diretamente para a rua.

“Continuamos a ter também uma série de pessoas a vender nas ruas com mochilas. Portanto, o álcool vai correndo e nós sabemos que, quanto mais álcool, mais comportamentos excessivos e fora do normal há”, disse.

Para o presidente da AMBA, deve existir mais fiscalização sobre os estabelecimentos.

“Tudo isto tinha de ser regulado. Tem de haver mais fiscalização dos estabelecimentos e do consumo, sobretudo deste tipo de estabelecimentos e não daqueles que têm tradição no bairro e estão lá há muitos anos e são conhecidos, mas sim de estabelecimentos mais pequenos, que nem deviam existir, e de venda de álcool que está sempre disponível mesmo depois de os espaços fecharem, o que agrava comportamentos”, sublinhou.

Luís Paisana destacou também a necessidade de haver estabelecimentos de diversão noturna dispersos pela cidade.

“O Bairro Alto, tal como o Cais do Sodré, continua a ser dos poucos sítios em que as pessoas vão à noite. Lisboa devia diversificar, ter mais locais noturnos além destes tradicionais. Os espaços estão concentrados no Bairro Alto e no Cais do Sodré, o que faz com que haja mais pessoas nestes locais, logo mais difícil de controlar mesmo com polícia”, concluiu.

De acordo com o Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis), sete adeptos do Borussia Dortmund foram detidos em Lisboa na terça-feira à noite na sequência de desacatos ocorridos no Bairro Alto, tendo dois polícias sofrido ferimentos ligeiros.

“Os desacatos terão começado às 23:40 na Rua da Atalaia, no Bairro Alto. Cinquenta adeptos do clube alemão Borussia Dortmund começaram a arremessar vários objetos, entre cadeiras, mesas”, relatou à Lusa uma fonte do Cometlis.

Na sequência da intervenção da PSP para travar os confrontos, dois polícias sofreram ferimentos ligeiros e sete adeptos foram detidos.

Hoje, o Sporting defronta o Borussia Dortmund num jogo da Liga dos Campeões de futebol.

A mesma fonte adiantou à Lusa que ocorreram também confrontos perto do Pavilhão João Rocha, em Lisboa, após um jogo de andebol entre o Sporting e o AEK Atenas, na terça-feira.

“Trinta pessoas envolveram-se em confrontos após o jogo. Seis adeptos ficaram feridos, sendo que, destes, cinco foram assistidos no local e um foi transportado ao hospital”, disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.