Um porta-voz do procurador de Hannover (norte), Oliver Eisenhauer, indicou à agência noticiosa France-Presse ter sido informado do falecimento pelo advogado deste homem condenado em 2015 a quatro anos de prisão por cumplicidade na morte de 300.000 judeus, sem poder confirmá-la oficialmente.

“A única coisa que temos é uma carta do seu advogado segundo a qual ele estaria morto”, disse Eisenhauer, explicando “ainda não dispor” de uma certidão de óbito que deve ser dirigia pelo município às autoridades judiciais, um processo que se pode prolongar por vários dias.

O diário regional alemão Hannoversche Allgemeine Zeitung, e de seguida a radiotelevisão pública NDR, tinham anunciado a morte, citando o advogado. Segundo o semanário Der Spiegel, o antigo SS morreu na sexta-feira no hospital.

Oskar Gröning fez parte dos últimos antigos nazis que responderam em tribunal pelos seus atos, mais de 70 anos após o final da Segunda Guerra Mundial.

Durante o processo, apresentou as suas desculpas e evocou uma “infração moral”.

No final de 2017, a justiça alemã ordenou a sua detenção, mas o idoso tentou todos os recursos para escapar à detenção, solicitando inclusive um pedido de clemência. Os seus esforços não resultaram, mas a justiça também não executou na prática a sua decisão de o manter sob detenção.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.