Em comunicado é referido que o Ministério foi informado pelas autoridades francesas de que a refém, cuja identidade não foi revelada, tinha sido “morta por raptores da organização terrorista Jama’at Nasr al-Islam wal Muslim há cerca de um mês”.

O grupo estará ligado à Al-Qaeda.

“Foi com grande tristeza que soube da morte da nossa concidadã”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Ignazio Cassis, numa declaração, condenando ainda o “ato cruel”.

O ministro adiantou que as circunstâncias exatas da morte da refém suíça não foram ainda esclarecidas.

“A informação sobre o assassinato foi obtido pelas autoridades francesas através de um refém recentemente libertado”, acrescentou.

Os meios de comunicação social suíços relataram que a refém era missionária cristã da cidade de Basileia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.