O incidente ocorreu no sábado, na Papua Ocidental, Indonésia, depois do enterro da vítima, um homem de 48 anos, que entrou acidentalmente na área de criação à procura de alimento para as suas vacas, segundo informaram as autoridades da proteção animal.

Um dos crocodilos terá mordido a sua perna, mas foi outro espécime que o feriu mortalmente com um golpe de cauda na cabeça.

Membros da família do falecido e outros habitantes da localidade de Sorong, cidade portuária com pouco mais de 200.000 habitantes, reclamaram com a polícia sobre a presença da casa de criação de animais numa área tão perto de uma zona residencial.

A polícia informou que o dono da criação estava disposto a indemnizar a família da vítima, mas centenas de vizinhos enfurecidos invadiram o local armados com facas e machados.

No total, mataram 292 crocodilos, quase a totalidade dos répteis que se encontravam naquele espaço, na sua maioria crias, mas também adultos que mediam dois metros de comprimento.

Fotografias da agência Antara mostram uma pilha de cadáveres dos animais.

"Um empregado ouviu alguém gritar por ajuda, indo rapidamente para o local e viu um crocodilo atacar uma pessoa", revelou o chefe da agência de conservação dos recursos naturais, Basar Manullang, segundo revela o The Guardian.

Em 2013, foi dada à quinta uma licença para proteger os crocodilos da Papua Ocidental. Esta também estava legitimada para a criação dos animais. No entanto, uma das condições para obterem a autorização ditava que os répteis não podiam perturbar a comunidade.

"Para prevenir que isto aconteça novamente, os titulares das licenças destas quintas precisam de garantir a segurança das áreas adjacentes", revelou Manullang.

O chefe da agência de conservação dos recursos naturais revelou que a sua agência estava coordenada com a polícia para investigar o acidente.

De acordo com a agência AFP, a polícia não conseguiu deter o ataque.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.