“Estes detalhes são importantes se queremos ter algumas hipóteses no Mundial. Temos de ser profissionais. Para poder controlar todos os aspetos que envolvem a equipa preciso de trabalhar com as pessoas que conheço”, explicou van Marwijk, de 66 anos.

A federação australiana alegou que não podia suportar os custos dos adjuntos escolhidos por van Marwijk, pelo que terá de ser o treinador holandês a pagar aos compatriotas Mark Van Bommel, Roel Coumans, Jurgen Dirkx e Taco Van den Velde, bem como a mais quatro responsáveis pela análise dos adversários.

“Eles conhecem a minha forma de trabalhar e o meu modelo de jogo. E eu conheço-os bem e sei que eles aceitaram a minha proposta pelo desafio que ela representa e não pelo dinheiro”, observou van Marwijk, que será substituído pelo australiano Graham Arnold após o Mundial2018.

A Austrália integra o Grupo C do Campeonato do Mundo, cuja fase final se vai realizar na Rússia, em conjunto com as seleções da Dinamarca, França e Peru.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.