As visitas desta segunda-feira a Paris do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e do primeiro-ministro britânico, David Cameron, iniciam a reta final da discussão sobre a permanência do Reino Unido na UE.

Tusk, que cancelou todos os seus encontros desta semana para defender a proposta destinada a evitar a saída do Reino Unido da UE ("Brexit"), reuniu-se ao meio-dia com o presidente francês François Hollande. O presidente do Conselho Europeu vai estar, ainda, em Berlim, Praga e Budapeste para tentar consolidar um processo que qualifica de "muito frágil".

Após a reunião com Hollande, Tusk limitou-se a declarar brevemente aos jornalistas que espera chegar a um acordo. O primeiro-ministro britânico, cuja inesperada visita foi anunciada nesta mesma segunda-feira por Londres e confirmada por Paris, irá reunir-se com Hollande no final da tarde.

Esta reunião acontece "depois do encontro entre o primeiro-ministro e a chanceler alemã Angela Merkel, na sexta-feira, e antes de reuniões com deputados europeus amanhã (terça-feira) em Bruxelas", indicou Downing Street. O Reino Unido espera conseguir um acordo.

Donald Tusk apresentou, no dia 2 de fevereiro, um pré-acordo para responder às reivindicações britânicas e evitar o "Brexit", mas continuam pendentes várias questões difíceis, desde a imigração até à soberania política, passando pela economia. A França advertiu que não considera modificar os tratados europeus para adaptá-los às exigências britânicas.

Países da moeda única devem ser mais fortes

França vai recusar, em particular, qualquer medida que permita aos nove países que não adotaram a moeda única bloquear decisões dos 19 membros da Zona Euro. "Não pode haver nenhum veto por parte dos países que não fazem parte da Zona Euro", advertiu Hollande.

A proteção dos interesses dos países que não são membros da Zona Euro é uma questão que deve "ser solucionada e que é essencial para a Grã-Bretanha", reiterou em Bruxelas, nesta segunda-feira, o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Philip Hammond.

O projeto de acordo preparado por Donald Tusk será submetido, na quinta e sexta-feira, aos chefes de Estado e de governo da UE. Philip Hammond confirmou, no domingo, que as negociações continuariam até o último minuto, dado que certas decisões só "podem ser tomadas pelos chefes de Estado e de governo" reunidos.

Cameron, que prometeu organizar um referendo sobre a permanência ou não do seu país na UE, realizado provavelmente em junho, reiterou, na sexta-feira, em território alemão, que acredita na possibilidade de chegar a um acordo. "No que diz respeito ao lugar da Grã-Bretanha na UE, sempre confiei que, juntos, podemos obter as reformas que respondam às expectativas britânicas e funcionem também para toda a Europa", disse Cameron, na presença de Angela Merkel.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.