"Tendo verificado que o conteúdo transmitido pelo canal CNN en Español, através da rede de televisão por assinatura, viola e lesa as normas legais" do país, foi ordenada "a retirada imediata desse canal da grelha de canais autorizados", explicou a vice-presidente e primeira-dama, Rosario Murillo, à imprensa oficial local.

Na quinta-feira, a CNN en Español indicou num comunicado que o governo de Daniel Ortega retirou o meio de comunicação da grelha de televisão por cabo, ao fim de 25 anos de transmissões na Nicarágua.

Murillo, também porta-voz do governo, disse que a medida foi ordenada pelo Instituto Nicaraguense de Telecomunicações e Correios (Telcor) "há poucos dias, a todas as operadoras de TV por assinatura" do país, considerando que "a CNN en Español violou a Constituição Política" da Nicarágua.

Mais de 30 meios de comunicação foram fechados este ano na Nicarágua, segundo a "Vozes do Sul", organização latino-americana de defesa da liberdade de Imprensa.

Entre os meios de comunicação fechados estão o canal de televisão da Conferência Episcopal e pelo menos sete meios católicos fechados pela Telcor, num ambiente de tensões existentes entre a Igreja Católica e o governo de Ortega.

Ortega, um ex-guerrilheiro de 76 anos, governa a Nicarágua desde 2007.

O presidente acusa a oposição e os bispos de, em 2018, apoiar os protestos que eclodiram contra o seu governo. Protestos que o mandatário atribui a "um golpe de Estado fracassado", promovido por Washington.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.