Do total de desaparecidos, 127 são moradores e turistas que estavam nos arredores da barragem que rebentou e os restantes 55 pertencem à equipa da empresa Vale, proprietária da mina, de acordo com as autoridades locais.

O balanço da Defesa Civil regista ainda a existência de 133 desalojados, que foram retirados das suas casas, por estas apresentarem algum tipo de risco ou por terem sido destruídas. No entanto, foram encaminhados para hotéis da região.

Neste que foi o 14º dia de buscas, os bombeiros usaram máquinas escavadoras para procurar corpos de vítimas, mas não contaram com a ajuda dos meios aéreos devido às fortes chuvas que caíram sobre Brumadinho, que impossibilitaram a realização de voos.

O desastre na barragem em Brumadinho ocorreu no último dia 25, quando uma das barragens nas quais a empresa mineira Vale armazenava resíduos, localizada na cidade de Brumadinho, no estado brasileiro de Minas Gerais, rebentou, provocando uma avalanche de lama que soterrou as instalações da própria empresa e centenas de propriedades rurais.

Após o desastre, a Vale anunciou que vai fechar todas as barragens construídas com o mesmo método da de Brumadinho, ou seja, erguidas a partir do próprio lixo e da terra na área.

A mineradora brasileira já esteve envolvida num outro acidente semelhante, ocorrido numa das minas da sua subsidiária Samarco no estado de Minas Gerais há três anos, na cidade de Mariana, no qual morreram 19 pessoas após a rutura de uma outra barragem.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.