Depois de reuniões hoje em Damasco, o emissário da ONU, Staffan de Mistura, confirmou igualmente que o regime sírio rejeitou uma proposta de tréguas que permitiria à oposição controlar a zona leste de Alepo.

Mistura expressou ainda a “indignação internacional” sobre os ataques a civis em Alepo.

O emissário das Nações Unidas esteve reunido com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Síria, que confirmou a rejeição de uma administração autónoma por parte dos rebeldes sobre os bairros que controlam em Alepo.

“Dissemos que rejeitamos completamente essa ideia”, disse o ministro Walid Mouallem, que questionou: “Como é possível que a ONU venha para recompensar os terroristas?”.

Hoje pelo menos sete crianças morreram pelos tiros dos rebeldes em zonas de Alepo controladas pelo regime sírio.

No sábado, a conselheira norte-americana para a Segurança Nacional, Susan Rice, condenou os bombardeamentos que considerou “atrozes” que visaram hospitais em bairros tomados pelos rebeldes em Alepo, deixando um aviso a Damasco e Moscovo.

“Os Estados Unidos condenam fortemente os ataques terríveis contra instalações médicas e colaboradores de agências humanitárias. Não há desculpa para estes atos atrozes”, declarou Rice, citada pela agência France Presse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.