A reportagem, que traz informações fornecidas pelo herdeiro da Odebrecht à justiça brasileira depois de ter assinado um acordo de colaboração que prevê uma redução da pena, informa que teria sido aberta uma espécie de conta em nome do ex-Presidente pela construtora.

Esta conta seria supostamente gerida pelo ex-ministro Antonio Palocci. O ex-assessor Branislav Kontic foi apontado como suposto responsável por transportar o dinheiro da Odebrecht que abastecia esta conta com verbas desviadas das obras das empresas estatais e do Governo brasileiro.

Segundo o jornal brasileiro, esta conta foi usada para financiar projetos como a compra de um terreno em São Paulo que deveria abrigar a sede do Instituto Lula.

A aquisição deste terreno é a acusação central numa das denúncias em que Lula da Silva é acusado de corrupção passiva e branqueamento de capitais.

Contactado pela Folha, o Instituto Lula afirmou que não comenta “delações para obtenção de benefícios judiciais, quanto mais especulações sobre supostas delações”.

O Instituto Lula destacou ainda que o ex-Presidente jamais solicitou qualquer vantagem indevida e que o terreno que teria sido adquirido pela Odebrecht “jamais foi do Instituto Lula ou de Lula” da Silva.

.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.