O PS tinha proposto inicialmente que a medida entrasse em vigor apenas em agosto, mas, no domingo, foi anunciado um acordo entre o Governo, o Bloco de Esquerda e o PCP para que o aumento extraordinário das pensões fosse antecipado para o primeiro mês seguinte à entrada em vigor do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020).

Os deputados aprovaram por unanimidade o primeiro ponto das propostas do PCP e do Bloco de Esquerda, segundo as quais a atualização extraordinária das pensões tem efeitos "no primeiro dia útil do mês seguinte à entrada em vigor" do Orçamento do Estado.

A votação final global do OE2020 está agendada para esta quinta-feira.

A proposta do PCP incluía ainda um terceiro ponto que estabelecia um aumento extra de 10 euros por pensionista cujo montante global de pensões fosse superior a 1,5 vezes o Indexante dos Apoios Sociais (IAS).

Numa primeira votação, este terceiro ponto da proposta do PCP chegou a ser aprovado com os votos favoráveis do PSD, PCP, BE e PAN e com os votos contra do PS e a abstenção do CDS, Chega e Iniciativa Liberal. Porém, os sociais-democratas recuaram e alteraram o sentido de voto, inviabilizando a norma.

A atualização extraordinária será de 10 euros para os pensionistas cujo montante global de pensões seja igual ou inferior a 1,5 vezes o valor do IAS (658,2 euros) e de seis euros para pensionistas que recebam, pelo menos, uma pensão cujo montante fixado tenha sido atualizado no período entre 2011 e 2015.

Em 2017 e 2018, as pensões tiveram um aumento extraordinário pago a partir de agosto e, no ano passado, a medida entrou em vigor em janeiro.

Ao todo serão cerca de 1,5 milhões os pensionistas com aumento extraordinário.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.