"Considero que é uma tremenda irresponsabilidade essa proposta do PSD, para além de alguns aspetos técnicos que daqui a uns dias poderemos avaliar, designadamente por estar contra a diretiva [europeia] que existe neste momento", declarou Ana Catarina Mendes numa conferência de imprensa em que o PS apresentou as suas propostas de alteração ao Orçamento do Estado para 2020.

Em matéria de redução do IVA da eletricidade, teme-se dentro do Governo e da bancada socialista uma conjugação de votos favoráveis entre o PSD, o Bloco de Esquerda e o PCP.

Os socialistas alegam que uma descida generalizada do IVA da eletricidade terá efeitos nefastos no que respeita ao cumprimento das metas orçamentais para 2020 e consideram ainda que essa medida será contrária aos objetivos de combate às alterações climáticas.

Porém, segundo o vice-presidente da bancada parlamentar social-democrata Afonso Oliveira, se o Governo não apresentar contrapartidas para a perda de receita prevista com a descida do IVA da eletricidade, então o PSD proporá "reduções de despesas ministeriais e de consumos intermédios, que compensariam os 175 milhões de euros de despesa estimados na segunda metade em 2020".

Questionado se admite aprovar propostas de outros partidos (BE e PCP) sobre esta matéria, o deputado do PSD disse que não há acordo com qualquer partido, mas não excluiu essa possibilidade.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.