"Espero que tenha ficado esclarecido. Disponibilizei-me para esclarecer as dúvidas existentes e responder a todas as questões", declarou aos jornalistas a antiga ministra da Educação (2005-2009).

Maria de Lurdes Rodrigues adiantou que, segundo o seu conhecimento, não há nenhuma acusação no processo Operação Marquês de que o ex-primeiro-ministro a tenha pressionado a tomar qualquer decisão.

A ex-ministra admitiu ter sido confrontada por três tipos de questões: sobre o modo como funciona o Conselho de Ministros e como eram preparadas e tomadas todas as decisões, depois sobre as circunstâncias em que tinha sido criada a Parque Escolar e, por último, sobre como funcionava a Parque Escolar e como eram tomadas as decisões.

Acerca desta última questão, explicou que era através de uma empresa co-tutelada pelo Ministério da Educação e pelo Ministério das Finanças.

"Tudo isto foi esclarecido. Espero", finalizou.

A Operação Marquês, processo em que é arguido José Sócrates, o banqueiro Ricardo Salgado e o antigo ministro Armando Vara, entre outros, teve início em 19 de julho de 2013 e culminou na acusação a 28 arguidos - 19 pessoas e nove empresas - pela prática de quase duas centenas de ilícitos económico-financeiros.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.