“Para mim é difícil comentar as ações e os objetivos das autoridades. É provável que o tenham envolvido em qualquer jogo político”, disse o pai do jornalista bielorrusso, Dmitri Protasevich à cadeia de televisão britânica BBC.

O advogado de Sapega, cidadã russa, qualificou a medida adotada como positiva.

“É um sinal positivo que vai permitir resolver a situação” de Sofia Sapega, disse o advogado Anton Gashinski, citado pela agência Interfax.

Apesar de ter sido transferida para prisão domiciliária, Sapega fica impedida de “usar meios de comunicação” e qualquer tipo de deslocação “fica sujeita à vigilância das autoridades”.

Protasevich, 26 anos, e Sapega, 23 anos, foram detidos no passado dia 23 de maio depois de o avião da companhia Ryanair em que viajavam ter sido desviado para Minsk que informou o aparelho sobre um falso aviso de bomba a bordo.

A “comunidade internacional” pede a libertação imediata dos dois presos.

Em resposta ao ato de “pirataria” e “sequestro” do avião pelas autoridades de Minsk, a União Europeia concordou em ampliar as sanções contra o regime do presidente bielorrusso, fechando o espaço aéreo do país e recomendando às linhas de aviação europeias a evitar a passagem pela Bielorrússia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.